Passo a passo para a instalação de sancas em Drywall - R. Bassani
  +55 (41) 3377-1500

Passo a passo para a instalação de sancas em Drywall


sanca pronta em drywall

Em ambientes em que o pé direito não permite o rebaixamento do teto as sancas são uma excelente solução para a realização de um projeto de iluminação. Existem diferentes tipos de sancas e a escolha vai depender do resultado final desejado para a decoração do ambiente. As sancas abertas são os modelos mais utilizados: possuem um vão entre o teto e o gesso, onde é instalada a iluminação indireta, que podem receber também pontos de iluminação direta. Já a sanca fechada não apresenta este vão e comporta apenas a iluminação direta do ambiente. Outro tipo muito utilizado são as sancas invertidas, que apresentam sua abertura voltada para as paredes e apresenta apenas iluminação refletida nas paredes e no teto.

O Drywall é um material muito utilizado em execução de forros e é uma excelente solução para a criação de sancas. O procedimento de instalação é simples e as peças metálicas e placas de gesso acartonado podem ser tanto encomendadas sob medida quanto cortadas e montadas no local da obra. No artigo de hoje, confira o passo a passo para a instalação das sancas em Drywall:

1. Marcação

Com o auxílio de uma trena, marque na parede do ambiente a altura de instalação do forro. Este nível deve ser transferido para as demais paredes com a utilização de um nível a laser ou uma mangueira de pedreiro. A partir da marcação dos pontos, trace uma linha horizontal, que deve servir como referência para a instalação das cantoneiras.

2. Fixação das cantoneiras

As cantoneiras “L” são fixadas sobre a marcação horizontal na parede e parafusadas no máximo a cada 600 mm.

3. Marcação e corte das placas Drywall

As placas de Drywall são marcadas com o auxílio de uma trena, de acordo com a altura especificada para as sancas e cortadas com um estilete.

4. Fixação das placas

As placas de gesso acartonado devem ser fixadas nos dois lados da cantoneira “L” com parafusos a cada 20 cm de sua extensão. Uma boa dica é parafusar primeiro as extremidades do perfil facilitando o processo. Então, os demais “L” devem ser parafusados na extremidade da placa de gesso para se obter a primeira parte da sanca. Os demais segmentos que a compõe são realizados seguindo o mesmo procedimento, de acordo com o projeto arquitetônico.

5. Marcação das lajes

As medidas da sanca devem ser demarcadas na laje do ambiente com o auxílio de uma trena. Para marcar o posicionamento dos futuros tirantes e suportes niveladores utilize uma linha de náilon.

6. Fixação dos tirantes

Os tirantes são fixados na laje com a utilização de uma furadeira. Para lajes de concreto, utilize buchas de náilon número 6, rebite de aço número 4 ou pinos de aço. Mantenha entre os tirantes uma distância máxima de 1 metro.

7. Fixação da sanca nos tirantes

Depois de fixados, os tirantes recebem a sanca, que é fixada na cantoneira “L” presa na parede com parafusos a cada 20 cm de sua extensão. Os demais tirantes devem ser parafusados na laje e seu nivelamento deve ser checado com o auxílio de um nível bolha.

8. Fechamento da sanca

Após a instalação das duas partes da sanca, é importante conferir se elas se encontram corretamente alinhadas. Fixe a última chapa, que realiza o fechamento da sanca. Depois disto, a sanca está pronta para receber o tratamento de juntas e o acabamento desejado.

As sancas são elementos que contribuem para a criação de ambientes modernos e sofisticados e podem ser instaladas de forma ágil e fácil. Recomenda-se para a execução destes elementos de teto a contratação de uma empresa especializada para garantir o melhor aproveitamento dos materiais e a qualidade de acabamento.

E você, já conhecia o procedimento para a instalação de sancas? Compartilhe suas experiências conosco nos comentários! 


Categorias: Acabamento, Drywall, Sancas